Todo o conteúdo do blog é apenas uma forma de compartilhar informações encontradas nos livros, internet, revistas etc.

Antes de qualquer coisa, procure um profissional especializado!

sexta-feira, 29 de março de 2013

Relação Sexual Durante a Gestação

     Numa gravidez normal, pode-se manter uma vida sexual até a bolsa estourar. No entanto, é importante conversar com seu médico caso tenha algum problema durante a gravidez, como placenta prévia, sangramentos, descolamento de placenta, ou se já sofreu abortos espontâneos. 

 
 Se tudo estiver correndo bem, sexo durante a gestação é até positivo, porque fará a mulher se sentir bonita e valorizada, além de contribuir para um relacionamento saudável com o parceiro.
Pesquisas mostraram, inclusive, que não há ligação entre sexo em uma gravidez normal e o nascimento de crianças prematuras.

O sexo nos Primeiros Três Meses
 Muitos casais temem que o sexo nos primeiros meses possa causar um aborto espontâneo. Além disso, os homens têm medo de machucar o bebê durante a relação sexual. Porém, nenhum desses temores é justificado. Dica: esclarecer com o médico qualquer dúvida a respeito do sexo durante a gestação. 

O espesso tampão de muco que fecha o colo do útero ajuda a protegê-lo contra infecções. O saco amniótico e os fortes músculos do útero também protegem o bebê. 
Pode ser que, depois do orgasmo, o bebê fique meio agitado, mas é porque seu coração está batendo mais rápido, e não porque ele saiba o que está acontecendo ou sinta algum tipo de dor. Em algumas circunstâncias, porém, é possível que o médico a oriente a não manter relações sexuais com penetração.
Entre elas estão: sangramentos, dores abdominais ou cólicas, histórico de insuficiência no colo do útero, placenta baixa e, especialmente, se tiver tido sangramento. 

 
O obstetra também poderá recomendar que você evite sexo se o seu parceiro tiver herpes genital.

 Algumas mulheres, de fato, apresentam redução da libido nos três primeiros meses. Justifica-se pelo cansaço, seios doloridos, náuseas, que não estimulam o desejo sexual. 
 O aumento do fluxo sanguíneo na região da pelve pode fazer os órgãos genitais ficarem mais irrigados, o que intensifica a sensibilidade e até o orgasmo. Mas essa mesma irrigação provoca em algumas mulheres uma sensação meio desagradável depois da relação sexual. Além disso, algumas grávidas sentem cólicas durante o ato sexual ou depois do orgasmo.
   O desconforto geralmente melhora, mas é possível que a sensibilidade permaneça. Para certas gestantes a mudança é ótima, enquanto para outras é desagradável.
Avise o seu parceiro se alguma coisa incomodar, mesmo que seja algo que vocês sempre faziam juntos. 
Nesse período, abraços, carinhos e afagos podem ser importantes substitutos temporários para a intimidade que desfrutavam com o sexo
 O segundo trimestre costuma ser marcado pelo reacendimento da libido. 
O desejo pode voltar a diminuir no terceiro trimestre, pelo desconforto da barriga ou pela ansiedade com a aproximação do parto.
 O Desejo do Homem
A maioria dos homens gosta das mudanças trazidas pela gravidez. 
Seus seios ficam maiores e surgem novas curvas.  Mas o desejo do seu parceiro pode ser prejudicado pela preocupação dele com sua saúde e com a do bebê, pela apreensão com a mudança que vai acontecer na vida de vocês, pelo medo de que o sexo machuque o bebê ou pelo desconforto de ter relações sexuais na presença do filho, mesmo que ele ainda não tenha nascido. Caso o temor seja machucar o bebê, experimente levá-lo para conversar com o médico na próxima consulta, assim ele terá chances de tirar todas as dúvidas sobre a segurança do sexo na gravidez.
 
O Sexo no 3º Trimestre


O sexo tem de ser cada vez mais delicado e cuidadoso. Ademais, é super importante para a alto estima da gestante. Durante o sexo o papai nem chega a tocar no bebê.  Por isso, fiquem tranquilas!
  Que posições sexuais são mais confortáveis?
Provavelmente vão ter que experimentar um pouco mais para encontrar as posições que melhor se adaptam aos dois. Achar um jeito confortável de transar, com penetração, vai ficando mais difícil à medida que sua barriga cresce.  Mas muitos casais acabam encarando a gravidez como uma oportunidade de aumentar a criatividade sexual e testar novas posições. 
Veja abaixo algumas dicas:

Fique de lado!

 Se você ficar meio de lado, com um travesseiro apoiando suas costas, seu parceiro conseguirá manter o peso dele longe do seu útero. 

Colher  
 Adote a posição da "colher", deitada de lado com o homem deitado também de lado, por trás de você. Essa posição só permite uma penetração superficial. Penetrações muito profundas podem ir ficando desconfortáveis conforme os meses vão passando.  
É uma das posturas mais confortáveis para a grávida e poderá ser praticada durante a gestação toda. O casal se encaixa de lado e a mulher pode usar um travesseiro pequeno sob a barriga para mantê-la apoiada. A postura deixa a barriga em posição de descanso, como se fosse em um ninho. Outra vantagem é que a coluna, às vezes prejudicada pelo peso da barriga, se mantém em linha reta.

Papai e Mamãe Adaptado
A posição papai-e-mamãe, com o homem por cima, exige cada vez mais acrobacias e criatividade devido à barriga maior. Por isso é preciso adequar a posição!
 Para não pressionar a barriga da parceira, o parceiro não deita totalmente sobre ela. Mantém o tronco um pouco elevado. Assim não há pressão no útero – essencial a partir do segundo trimestre, quando o órgão aumenta bastante de tamanho.

Sentada


Fique por cima, "montando" o parceiro. Sua barriga não vai atrapalhar e você poderá controlar a profundidade e a intensidade da penetração.
 Sentada em frente e sobre o parceiro, a mulher está à vontade para controlar os movimentos e a intensidade da penetração. Isso permite que ela mantenha a barriga livre, sem nenhuma pressão. Uma postura agradável e suave principalmente a partir do oitavo mês, quando a barriga está mais dolorida devido ao aumento do útero.



Experimente a posição sentada, que também deixa sua barriga livre. Tente se sentar no colo do seu parceiro, com ele colocado numa cadeira firme.
 
 A grávida se senta sobre o homem – de costas para ele – de forma confortável. Como a barriga fica livre e a mulher consegue maior controle sobre os movimentos, a posição permite a relação sexual até o final da gestação. 
 Cachorrinho


 A posição "cachorrinho", com você de quatro em cima da cama e a penetração vaginal por trás, também tira a barriga do caminho.
Nesta posição, a mulher mantém a barriga totalmente solta, enquanto o homem, ajoelhado, controla a penetração. A postura é bastante confortável durante os primeiros trimestres. Nos últimos três meses, a barriga pesada desequilibra a coluna, que fica mais vulnerável nessa posição.


Em pé 
 Com o apoio da parede, o homem sustenta o peso da parceira, segurando-a pela parte posterior das coxas. É ideal para os primeiros meses da gravidez ou enquanto a barriga ainda estiver pequena. À medida que o útero cresce, a postura pode prejudicar a coluna.

De joelhos  
Ele se ajoelha e ela fica apoiada em um dos joelhos. A mulher pode abraçar a cintura do parceiro com a outra perna. Essa posição é sugerida para os primeiros meses de gravidez (até o terceiro mês), quando o útero ainda não se dilatou muito. 

Pelve levantada  
 Enquanto ela se deita sobre travesseiros (que devem estar acomodados sob a coluna), ele, de joelhos, controla a penetração. Assim, a barriga fica livre. A pelve levantada pelas almofadas facilita o orgasmo. Pode ser experimentada até o sétimo mês. Depois disso, com a barriga muito grande, a posição tende a ficar desconfortável. 

Cruz  
 Essa é uma alternativa pela qual o casal pode optar até o final da gestação. A mulher fica deitada com as pernas flexionadas sobre o corpo do parceiro, que se encaixa nela de lado. Nessa postura, o conforto para a mulher é extremo já que além da coluna bem posicionada, ela mantém a barriga apoiada na cama e em situação de descanso. 


Armadilha da serpente  
Vem do Kama Sutra esta sugestão de nome tão curioso. A mulher fica sentada sobre o parceiro, de frente, e ambos seguram os pés um do outro. O arranjo permite ao casal balançar, em um estimulante movimento de vai-e-vem, e deixa a barriga livre. Além disso, evita a pressão sobre o diafragma – com o aumento do útero, a tendência é que o órgão comprima o músculo respiratório e dificulte um pouco a respiração. Com essa posição, a liberdade e o conforto são maiores. Até o final da gravidez.


Outra Posição
A barriga não ficará no meio do caminho se você se deitar com o bumbum bem na beirada da cama, os joelhos flexionados e os pés no colchão, e seu parceiro ficar fora, ligeiramente ajoelhado ou de pé, de frente para você.

Fontes: Internet, Laura Muller, autora de 500 Perguntas sobre Sexo (ed. Objetiva), 
e Kama Sutra, de Anne Hooper (ed. Vitória Régia).

Quando praticado no final da gestação, o sexo pode ajudar no parto normal?

“De maneira geral, toda atividade física leve ou moderada (incluindo o sexo) pode facilitar o parto normal”, diz Rolnik. “Além de não ser prejudicial em gestações de baixo risco, ela melhora o condicionamento físico e a massa muscular da gestante, que serão importantes no trabalho de parto”, afirma. Segundo Rolnik, não há contraindicações se não houver doenças e se o pré-natal tiver transcorrido sem complicações. (Fonte: http://mulher.uol.com.br)
 ✿ܓEdineide

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você tem um companheiro? Como ele encara a idéia de ter filhos?